Inspiração eclética, com Patricia Penna

A paulista Patricia Penna, se formou em Design de Interiores, pela Escola Panamericana de Arte, e posteriormente graduou-se em Arquitetura e Urbanismo. Atuando há mais de 20 anos no mercado, a arquiteta gerencia uma equipe de arquitetos e desenhistas, destacando-se em projetos arquitetônicos residenciais, corporativos, institucionais, além de projetos de design de interiores e mostras de decoração no Brasil e no exterior.

 – Conte-nos sobre suas maiores inspirações na carreira.

Inspirações foram, e são, diversas! Na arquitetura, penso em nomes como Paulo Mendes da Rocha e Niemeyer, ícones e mestres da arquitetura brasileira, e Janete Costa, grande arquiteta que atuou em diversas áreas, e desenvolveu um trabalho incrível de divulgação, e valorização, da arte popular brasileira. No design de interiores, Ana Maria Vieira Santos com projetos sempre elegantes e originais, e Sig Bergamin, mestre na composição de elementos clássicos e contemporâneos, com resultados inusitados.

 – Como sua experiência em diferentes mercados afeta o seu conceito criativo?

O Brasil é muito vasto, com enorme diversidade cultural, social e geográfica. Trabalhar no Centro Oeste é diferente de trabalhar no Sudeste, no Rio Grande do Sul, etc. As relações mudam, os materiais e logística dos fornecedores mudam, assim como os níveis de detalhamento e exigência. As expectativas e anseios dos clientes também mudam muito, por mais que sejam, por exemplo, clientes que vivam em cidades de praia, mas em Estados diferentes. Portanto, ter a oportunidade de atuar em diferentes regiões e mercados, me permite experienciar as diferentes realidades e ampliar a forma de compreender as interações entre cliente e arquitetura. Logo, o processo criativo também se torna muito enriquecido e elástico, pois o objetivo é sempre atingir o melhor resultado possível, e a mais alta satisfação de nossos clientes, seja qual for o seu contexto.

 – Como você vê a diferença entre os diferentes mercados onde atuou?

Nosso escritório atua em diferentes mercados, e para diferentes tipos de clientes. O cliente com projeto corporativo e comercial, tende a ser mais pragmático e objetivo, até pelo tipo de uso de seu imóvel, e prazo para execução do projeto e obra. O cliente com projeto residencial arquitetônico, que em geral tem uma disponibilidade maior de tempo para a execução, costuma ser mais tranquilo quanto às tomadas de decisões, ainda que bastante criterioso já que trata-se da sua futura moradia. Já o cliente com projeto de arquitetura de interiores de apartamento, em geral tem também uma disponibilidade menor de tempo para as execuções e, portanto, um perfil mais objetivo. O que permeia a todos os clientes é o cuidado e a qualidade de atendimento e projeto. Além disso, o profissional passa a ser um maestro que rege e procura equilibrar todos os anseios dos clientes, dentro das diferentes etapas da obra.

 – Quais os principais diferenciais do seu trabalho e da sua equipe?

Procuro sempre me manter atualizada e informada sobre o que há de novo no mercado. Além disso, sou apaixonada por decoração e moda, me mantendo também em contato constante com estes universos. Portanto, eu procuro sempre levar aos clientes o que há de melhor e mais adequado a determinados usos e projetos. Nossa equipe, assim como eu, é bastante detalhista. Esta é uma das características de nosso trabalho. Além disso, o cuidado que procuramos ter com a privacidade do cliente, quanto às trocas de informação e retornos, também são outros diferenciais.

 – Que projeto ou projetos marcaram sua carreira? E porque?

Todos os projetos nos marcam. Por serem únicos, cada um demanda um esforço e raciocínio únicos, em virtude da diversidade que há entre eles. A ampliação e projeto de arquitetura  de interiores, de uma residência numa ilha particular, na costa brasileira, e um concurso que ganhamos, para ampliação e remodelação do “Instituto tecnológico do ITA” foram dois projetos bastante marcantes.

 – Como você vê as tendências atuais nos setores de arquitetura e decoração?

Penso que uma grande tendência seja a sustentabilidade, em todos os setores. Nós profissionais precisamos pensar uma arquitetura menos impactante, que lance mão de artifícios como captação de águas pluviais, painéis fotovoltaicos para aquecimento de água e energia elétrica, sistemas de controle do uso de água, além de propor materiais com mais tecnologia e menos manutenção. Penso que na decoração seja também uma tendência forte. A madeira maciça deu lugar ao MDF e MDP. O amplo uso de laminados sintéticos substitui as laminas naturais em muitos casos. As peças de decoração com design mais simples e limpo também ganham cada vez mais espaço, além das matérias primas mais sustentáveis. Em linhas gerais acredito numa arquitetura – seja construção ou de interiores – mais eficiente e prática.

 

 

“…sou apaixonada por decoração e moda, me mantendo também em contato constante com estes universos.”

 

 – Fale sobre sua participação na edição de 2016 da Mostra Artefacto.

O convite para participar da Mostra HL 2016 foi recebido com muita satisfação, pois além de haver apenas 10 profissionais/escritórios participantes, houve a comemoração dos 40 anos da “Artefacto”, um momento super importante para a marca, do qual pudemos fazer parte.

 – Quanto tempo participa da Mostra e o quanto essa participação é importante para você?

A edição de 2016 foi nossa sétima participação na Mostra “Haddock Lobo”, (em 2013 participamos também da Mostra “Beach&Country”, na Avenida Brasil). Participar da Mostra é sempre muito bacana, pois é uma forma de reconhecimento do bom trabalho, que buscamos sempre fazer.

 – Fale um pouco sobre seu espaço, destacando seus diferenciais.

Os profissionais deveriam escolher uma capital, ao redor do globo, que inspirasse o projeto. Nossa definição foi por Istambul, na Turquia; uma das maiores cidades do mundo – cosmopolita e moderna – mas que guarda uma aura de mistério e surpresa. Portanto, a coexistência da cultura oriental, milenar, com as características de modernidade da cidade, inspiraram nosso ambiente. Como desenvolveríamos uma suíte – num espaço de quase 80m², outra inspiração foram as confortáveis suítes, dos grandes hotéis.

Assim, o resultado final é uma suíte com 03 confortáveis e espaçosos ambientes. Na decoração, tradicionais elementos da cultura Turca – como os painéis “muxarabi”, tapeçarias, mosaicos e mármores –revisitados em materiais contemporâneos e de tons neutros.

 

Mais informações:

Patricia Penna Arquitetura & Design

Tel: (12) 3209-9785 | (12) 3209-9786

Email: atendimento@patriciapenna.arq.br

Site: http://www.patriciapenna.arq.br

Sua opinião é muito importante

%d blogueiros gostam disto: